• PastoralCarcerariaCE

O POVO: Interno do sistema prisional do Cariri se forma e recebe diploma do ensino superior


A cerimônia de colação de Kayo Hamon contou com a presença de representantes da universidade e foi realizada na unidade prisional onde ele cumpre pena. (Foto: Divulgação SAP-CE)
“Meu principal objetivo é sair daqui como cidadão e dar um futuro digno à minha família. Que meu exemplo sirva de espelho para meus colegas, porque apesar dos nossos erros, com esforço e dedicação podemos nos reerguer e mudar de vida.”

Por REDAÇÃO O POVO, em 10 jun 2021.

Para ler o original, clique aqui.


Kayo Hamon, de 31 anos, realizou o sonho de muitos jovens. Vestiu a beca e recebeu o diploma. Agora formado em Gestão Comercial pela Faculdade Educacional (FAEL), o interno da Penitenciária Industrial do Cariri sonha em deixar a prisão sendo uma nova pessoa. Após dois anos de estudo, ele concluiu o ensino superior e se tornou o primeiro preso da atual gestão da Secretária de Administração Penitenciária (SAP) a se formar em um curso à distância durante cumprimento de pena no regime fechado.


A cerimônia de colação contou com a presença de representantes da universidade e foi realizada na unidade prisional onde ele cumpre pena. Kayo Hamon conseguiu a vaga com a aprovação no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), com as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL).


Além de Kayo, outros 12 alunos também fazem cursos de nível superior à distância na mesma unidade do interno. As aulas são de segunda a sexta, 3 horas por dia, em uma sala da unidade. Os módulos são virtuais e monitorados pelo setor de educação.


“Meu principal objetivo é sair daqui como cidadão e dar um futuro digno à minha família. Que meu exemplo sirva de espelho para meus colegas, porque apesar dos nossos erros, com esforço e dedicação podemos nos reerguer e mudar de vida”, afirma o interno por meio da secretária.


O coordenador de educação da SAP, Rodrigo Moraes, explica que a formatura do interno é parte de um trabalho focado na escolarização dentro das unidades. “A SAP celebra a conquista desse interno por que ele poderá retornar ao convívio social, com seus estudos concluídos, com uma capacitação profissional que ele recebeu dentro do sistema prisional e agora com uma graduação", pontua.


Leia também:

O POVO: Seis internos do sistema penitenciário do Ceará são aprovados na primeira chamada do Sisu


El País Brasil: As prisões sem guardas nem armas do Brasil vistas de dentro



Outros níveis


Outros internos também estão matriculados em aulas regulares nos ensinos de alfabetização, ensino fundamental e médio nas unidades prisionais. Segundo a SAP, o número é de 3.450 internos com acesso garantido, por meio da Coordenadoria de Educação da Secretaria da Administração Penitenciária.


O acesso é uma parceria entre SAP e Secretária de Educação (Seduc).Enquanto a Seduc disponibiliza professores e material didático, a SAP dá suporte na segurança, logística e apoio necessários aos educadores.

66 visualizações0 comentário