• PastoralCarcerariaCE

Diário do NE: Sistema Penitenciário recebe mais 5 mil livros


Foto: razoesparaacreditar.com
Ação foi realizada em parceria da SAP com FIEC; 28% dos presos praticam leitura por mês, diz SAP

Em 03 mar 2021.

Para ler a publicação original, clique aqui,


O Sistema Penitenciário Estadual recebeu mais 5 mil livros, para integrar o Projeto Livro Aberto e incentivar a leitura aos internos, na última segunda-feira (1º). A entrega foi realizada no Instituto Penal Professor Paulo Oliveira II (IPPOO 2), em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), 28% dos presos praticam a leitura, por mês.


A ação foi realizada em uma parceria da SAP com a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), por meio do Projeto Biblioteca Itinerante, desenvolvido pelo Serviço Social da Indústria (Sesi).


“Vamos passar de 10 mil livros para 15 mil livros no sistema penitenciário. Onde já tivemos mais de 10 mil presos lendo dentro da cela. Então, a importância do Livro Aberto é fundamental para o sistema penitenciário, dando um novo campo de visão para o interno. O conhecimento é fundamental para a ressocialização”, ressalta o titular da SAP, Mauro Albuquerque.


No projeto Livro Aberto, o preso escolhe, a cada mês, uma obra literária para a leitura. O apenado tem o prazo de 21 a 30 dias para apresentar o relatório de leitura ou resenha, que será elaborado de forma individual, presencial, em local adequado. A resenha que atingir a nota igual ou superior a 6,0 é aprovada pela Secretaria de Educação do Estado do Ceará (Seduc). Depois, o trabalho é levado à Justiça Estadual, para ser avaliado sobre a redução da pena. Ao fim de 12 obras lidas e avaliadas, o detento terá a possibilidade de reduzir 48 dias no prazo de 12 meses da pena.


Os 5 mil livros devem ser redistribuídos para outros presídios, na RMF, Sobral e Juazeiro do Norte. Segundo a superintendente do Sesi Ceará, Veridiana Grotti, o acervo será trocado a cada 4 meses, de acordo com a temática a ser trabalhada durante o período. “O que a gente espera é que ele [apenado] tenha conhecimento, que ele estude, que ele pegue gosto pela educação, que ele entenda que aquilo transforma a vida dele”, afirma.


28% dos presos praticam leitura por mês


Segundo a SAP, 6.500 presos praticam a leitura, por mês, em 17 unidades penitenciários do Estado. Isso representa cerca de 28,3% do quantitativo total de detentos do Sistema Penitenciário, que é de 22.911, conforme o último boletim divulgado pela SAP, no fim de janeiro deste ano.


Entre os detentos que praticam a leitura está Eugênio Diniz Rabelo, que recebeu, durante a entrega do acervo da Biblioteca Itinerante, o reconhecimento por se destacar como excelente leitor, tendo participado 11 vezes do projeto Livro Aberto, obtendo média acima de 7,0 nas avaliações.


“Quando eu estava lá fora, eu não tinha interesse nenhum em ler livro. Quando cheguei aqui, no início, o interesse foi pelas remissões, mas, depois que eu passei a ler, eu achei interessante porque eu não me sentia capaz de produzir uma redação. Lia por ler, mas quando eu vi, realmente, o objetivo, e testei minha capacidade e conhecimento que eu não sabia que tinha até então”, conta Eugênio.

6 visualizações0 comentário