top of page
  • Foto do escritorPastoralCarcerariaCE

Pe. Marco Passerini: 55 anos de um sacerdócio voltado aos desfavorecidos


No dia 23 de setembro de 2019, pe. Marco Passerini recebeu da Assembleia Legislativa do Ceará o título de Cidadão Cearense. Foto: divulgação
Neste dia 22 de junho de 2023 padre Marco Passerini, Assessor Eclesiástico da Pastoral Carcerária do Ceará, completa 55 anos de sacerdócio.

Para comemorar data tão importante, seja em sua vida como na de tantas pessoas impactadas pelo seu trabalho pastoral, uma celebração eucarística será realizada hoje, às 19 horas, na Capela Nossa Senhora das Graças, comunidade Trilha do Senhor (Rua Mal. Rondon nº 313, entre as ruas Eduardo Garcia e Paula Ney), onde o sacerdote católico realiza um trabalho junto à comunidade há quase 20 anos.



Quem é padre Marco Passerini


Sacerdote da Congregação dos Missionários Combonianos, padre Marco Passerini, ordenado presbítero no dia 22 de junho de 1968, verdadeiramente encarnou a missão deixada por São Daniel Comboni, o de ser missionário dedicado à evangelização dos povos.


Nasceu na Itália, em 16 de maio de 1941, e reside no Brasil desde 1973. É brasileiro naturalizado desde 2000 - cidadão maranhense desde 2005. Há 36 anos mora em Fortaleza (CE), após 14 anos de presença no Maranhão. Seu compromisso missionário é com a causa da Justiça, da Paz e da Integridade da Criação, numa atitude samaritana junto aos encarcerados do Ceará.


Leia também:


Nos anos de 1973 e 1974 trabalhou na Pastoral na Diocese de Balsas (MA) e, em 1974, foi para a Arquidiocese de São Luís (MA), onde foi pioneiro no trabalho com crianças de rua, com jovens estudantes, vítimas da Ditadura Militar, e com a comunicação, sendo assistente diocesano na Rádio Educadora, abrindo espaço para voz dos mais fracos e excluídos. Em 1983, foi convidado por Dom Guido Casullo para a Diocese de Cândido Mendes, onde fundou o jornal Tempos Novos, veículo das Pastorais Sociais e Pastoral da Terra. Dois anos depois, em 1985, o sacerdote regressou à Arquidiocese de São Luís, a convite do arcebispo Dom Paulo Eduardo Andrade Ponte, para assumir seu trabalho na Rádio Educadora.


Em 1987, foi transferido para a Arquidiocese de Fortaleza, onde assumiu as comunidades do grande Bom Jardim, periferia da capital cearense.



Nessa área pastoral, padre Marco, juntamente com um grupo de leigos, criou o Instituto Nosso Chão, trabalhando a comunicação audiovisual para a formação social e cidadania. No ano seguinte, o religioso passou a fazer parte da equipe de comunicação da Arquidiocese e da Regional Nordeste Um, onde muito contribuiu com a formação antes, durante e depois da Campanha da Fraternidade de 1989, cujo tema foi “Comunicação para a Verdade e a Paz”. Nesse período, o missionário visitou todas as dioceses do Ceará, motivando-as à criação do Setor de Comunicação diocesano.


Padre Marco deixou o Bom Jardim em 1997, após ter fundado com o seu irmão de congregação, padre Renato Lanfranchi, o Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza, que até hoje é apoio nas lutas sociais por melhorias da comunidade.


Leia também:



Desde 1998, padre Marco Passerini dedica-se à missão junto aos presidiários e suas famílias. Foi coordenador da Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Fortaleza por mais de duas décadas e, atualmente, atua como Assessor eclesiástico da Pastoral Carcerária do Ceará. Recebeu, em 2012, a Medalha Clodoaldo Pinto, do Conselho Penitenciário do Estado do Ceará - COPEN, pelos serviços e dedicação em prol da população carcerária no Ceará, no Brasil e no mundo.


Passerini é conselheiro do COPEN desde 14 de dezembro de 2007 até hoje, representando a Pastoral Carcerária. É ainda assessor das pastorais sociais e das CEBs. Em 2012 a Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Fortaleza foi agraciada com a Medalha Frei Tito por seus feitos em prol da vida.


Aos 82 anos de idade, o religioso segue desenvolvendo atividades pastorais e litúrgicas nas seguintes comunidades: comunidade Trilha do Senhor, José Walter, Parque Dois Irmãos, Rodolfo Teófilo, Barra do Ceará e Parajuru.


Fonte: Marta Andrade / Arquidiocese de Fortaleza




57 visualizações0 comentário
bottom of page